Como montar uma serralheria de alumínio em 10 passos.

Tenho visto muita gente trabalhando com vidro e querendo começar a produzir esquadrias de alumínio. O mesmo acontece com quem trabalha com ACM, construção, móveis, ferro, fechamento de sacadas, etc. Todo mundo quer trabalhar com esquadrias de alumínio, seja para oferecer um mix de produtos mais completo, passar para um mercado melhor e mais atual, enfim, por “N” motivos.

É aí que surgem as barreiras de entrada: Como fazer isso? Como montar uma serralheria? O que vou precisar? O que preciso saber?

É o que vamos entender melhor nesse texto. Então não importa se você está começando do zero, ou já trabalha em alguma área relacionada a esquadrias. Montar uma serralheria é um excelente negócio e é mais fácil do que você imagina. Esse guia com 10 passos vai te ajudar nesse processo.

Tiraremos todas suas dúvidas de como fabricar esquadrias de alumínio.

1. Criando um modelo de negócio competitivo e inovador. Se você não sabe para onde quer ir qualquer caminho serve, e seguir qualquer caminho não é uma boa ideia. Essa é a etapa mais importante e tudo que você colocar no papel vai influenciar nas etapas que estão por vir.

É hora de usar a criatividade e identificar oportunidades para definir qual caminho você vai seguir. Existem dois principais modelos de negócio com esquadrias de alumínio: – Esquadrias padronizadas Lucro no volume.

Quanto mais você vender, melhor. Nesse modelo você vai fabricar esquadrias leves, com bitolas que variam de 14mm a 25mm, sempre em medidas padrões. Seu grande parceiro vão ser os home centers de materiais de construção, construtoras ou revendedores de esquadrias.

Nesse modelo, você vai precisar de uma área maior para produção, entretanto, a mão de obra é menor – já que é possível automatizar o processo. – Esquadrias especiais Lucro no projeto. Quanto mais complexo, sofisticado e grande for – melhor.

Nesse modelo você vai lidar diariamente com projetos diferentes, que exigem know how e mão de obra especializada. Não existe uma regra, você pode trabalhar com ambos modelos, ou criar um novo modelo. Tudo vai depender dos seus objetivos e da realidade macroeconômica da região que você pretende atender.

4. Entendendo os sistemas de esquadrias (linhas de perfil) Basicamente o que você precisa saber é que existem diversos sistemas de esquadrias (linhas de perfis) desenvolvidos para atender necessidades diferentes.

Sistema de esquadrias são um conjunto de perfis reunidos em um catálogo criados por uma extrusora de alumínio com base nas necessidades do mercado. Essa extrusoras por sua vez deu um nome a esse sistema (para que ele possa ser comercializado como uma marca e reconhecido facilmente entre os fabricantes) normalmente as marcas desses sistemas são acompanhadas por uma numeração no final, representando a bitola dos montantes, que é o que vamos ver a seguir: O que diferencia um sistema do outro, além do design dos perfis são as bitolas dos montantes.

Por incrível que pareça, uma bitola com 5,10 mm a mais pode fazer toda a diferença em um sistema de esquadrias. Em geral e a grosso modo, existem 5 bitolas que são utilizadas como base para se desenvolver os sistemas. A mecânica das bitolas funciona da seguinte forma: A mecânica das bitolas funciona da seguinte forma: Os sistemas com bitola 16mm não permitem montar portas por conta da espessura do perfil (muito fino e frágil). A bitola 20mm soluciona esse problema por ser um pouco mais espessa, permitindo assim, montar portas. Até aí tudo bem, porém como a bitola ainda é pequena, impossibilita instalar esquadrias em edifícios por conta da pressão do vendo (dependendo da região, a força do vento pode arrancar uma folha da janela).

A bitola 25 surge como um meio termo (não é tão leve, mas também não é tão pesada), permite montar janelas, portas, inclusive em edifícios altos. Mas como nada é perfeito, só é possível montar esquadrias em tamanhos padrão, nada além do tradicional. Então como fazer quando um projeto é idealizado com uma porta de 6 metros de altura ou um vão de 24 metros para fechar? A resposta está nas bitolas 30 e 40, mais robustas, com design diferenciado, permitem fechar vãos mais largos e montar inúmeras tipologias de esquadrias. Mais uma vez, não existe uma regra.

É normal encontrar no mercado outras variações de bitolas (14,5, 16,5, 19, 32, etc.). O que permite, por exemplo, montar uma porta com um sistema leve, porém um pouco mais reforçado. Isso se deve ao trabalho das extrusoras de alumínio, que desenvolvem sistemas com diferenciais competitivos. Podemos conhecer esses sistemas pesquisando diretamente pelas extrusoras. (Alcoa, Belmetal, Asa Alumínio, CDA e entre outras).

Cada uma trabalha com seu próprio sistema, com seu próprio diferencial. Cabe a você escolher o sistema que mais se encaixa em suas necessidades (e a do cliente), visando sempre a facilidade em encontrar o perfil e possibilidades de negociação junto ao fornecedor.

3. Corte Estamos falando do coração da serralheria, portanto é muito importante que você tenha duas máquinas de corte de excelente qualidade. A serra principal deve ter um disco de corte de pelo menos 400mm de diâmetro com lâmina de widea, e será encarregada de cortar o maior volume de alumínio e as peças mais pesadas. Já a serra secundária pode ter um disco de corte de 300mm de diâmetro com lâmina de widea ou aço rápido. Essa será encarregada de cortar os perfis mais leves e delicados. Se você tem um volume de corte superior a 20T/mês ou o sistema que você escolheu possui muitos cortes a 45º, recomenda-se uma máquina de corte de dupla cabeça (garante produtividade e precisão) se o volume de corte for abaixo disso, pode-se utilizar uma serra mono corte. É importante considerar uma boa mesa de carga e descarga (que ficam nas laterais da máquina de corte) para medir as peças antes do corte. Existem opções analógicas e digitais (esta garante precisão)

4. Equipamentos de usinagem Montar uma janela ou uma porta sem o auxílio de um estampo ou um pantógrafo é a mesma coisa de tentar ascender uma fogueira com atrito de madeira, você até consegue, mas demora. Depois de cortar as peças de alumínio, você agora precisa executar as usinagens para então montar a esquadria. Nessa etapa você vai precisar de um estampo compatível com o sistema que você está montando, ou seja, se for uma janela ou porta com bitola 25, o estampo precisa ser respectivamente compatível, o mesmo acontece se for uma esquadria com bitola 30, 40, etc. Infelizmente o estampo não é capaz de realizar 100% de todos os rasgos e furações necessárias. É aí que entra o pantógrafo para usinar os centros dos perfis, tais como fechaduras e conchas e a entestadeira para recortar as pontas dos perfis para travessas e rebaixes para encaixes.

5. Montagem Agora que temos as peças cortadas e usinadas, finalmente vamos montá-las. Parafusadeiras e mesas de montagem são fundamentais. O espaço que você vai precisar para esta área vai depender do que você escolheu lá no primeiro passo. Se você determinou que também vai instalar os vidros, a área deve ser maior, por exemplo.

6. Acessórios e componentes Reserve uma área próxima ao setor de montagem, onde vão receber as peças pré-montadas, que recebem acessórios, tais como roldanas, conchas, guarnições, dobradiças, etc. Organização e produtividade são as chaves aqui. Então dessa forma, é inteligente posicionar carrinhos porta-acessórios e carrinhos de transporte de quadros para auxiliar na logística e encaixe dos acessórios. A maioria dos catálogos possuem a lista de acessórios e componentes que você vai precisar para montar as esquadrias. Então, você vai ter uma listagem na qual vai encaminhar para os fornecedores para obter cotação de preço. Muitas serralherias posicionam carrinhos porta-acessórios do lado da mesa de montagem para auxiliar no processo.

7. Área de circulação/Área de apoio Não importa se o que você pretende montar é mini, pequeno ou médio, independente disso, é muito importante que você pense em como vai ser a área de circulação da serralheria. Observe a seta vermelha na imagem acima. Ela começa no armazém de perfis e passa por todos os setores até chegar na expedição. Na prática, você só tem que posicionar corretamente os equipamentos e estações de montagem a fim de favorecer o fluxo dentro da serralheria. Não existe uma formula mágica, você vai ter que testar o modelo que funciona para sua serralheria. Além de pensar em como vai ser a área de circulação, é importante também criar uma área de apoio. Funciona como um espaço para armazenar peças finalizadas. O ideal é que esse espaço fique perto da expedição, facilitando o transporte. Carrinhos de transporte auxiliam muito bem.

8. Estoque de perfis /Estoque de acessórios Esse é um belo exemplo de como NÃO armazenar seu estoque de perfis. Estamos trabalhando com um material delicado, fácil de amassar e arranhar, então a melhor forma de armazená-los é em uma estante vertical ou horizontal (mais conhecida como árvore) como essa abaixo. Dessa forma, você pode armazenar por modelos, sistemas, facilitando o manuseio e separação.

9. Expedição A expedição é uma área do galpão onde se realiza as seguintes tarefas: – Verificar se aquilo que o cliente pediu está pronto para ser expedido – Preparar os documentos de remessa – Pesagem para determinar os custos de envio da mercadoria – Organizar itinerários – Auxiliar as transportadoras nas coletas

10. Administração A área administrativa é muito abrangente, envolve diversos setores como: Financeiro, RH, Compras, Vendas, projetos, etc. Podemos dar uma atenção maior no setor de projetos e desenvolvimento, esse setor afeta diretamente a produção das esquadrias, é o projeto que dita o ritmo dentro da serralheria.

A partir do conhecimento da obra, o projeto será responsável por levantar os custos (alumínio e componentes), recursos necessários até concluir, além de definir como a produção vai se organizar. Já área administrativa se encarregará de dar todo o suporte e andamento nas solicitações do projeto. Podemos usar a tecnologia a nosso favor, utilizando softwares para cálculos e administração de projetos.